quarta-feira, 5 agosto
Dia de luto, dia de luta – 7 de agosto

 

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) e representantes das demais centrais sindicais realizaram, nesta terça-feira, 4, uma reunião via teleconferência para discutir sobre os efeitos da pandemia no país e o impacto na vida dos trabalhadores.

O “Dia de luto, dia de luta”, em protesto à atual situação do Brasil, vai acontecer no próximo dia 7 de agosto e irá promover ações e debates. As atividades vão exigir a adoção de medidas eficazes por parte do governo para acabar com a pandemia e retomar a atividade econômica.

O movimento sindical objetiva chamar a atenção dos governantes às categorias trabalhadora e empresarial, que estão sendo diretamente afetadas pela crise. Além disso, sugere propostas a serem praticadas pelo governo em prol ao bem comum:

 

  1. a) Manutenção do auxílio emergencial de R$ 600,00, no mínimo, até 31 de

dezembro de 2020;

 

  1. b) Ampliação das parcelas do seguro desemprego;

 

  1. c) Liberação de crédito para as micro e pequenas empresas;

 

  1. d) Fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde);

 

  1. e) Derrubada pelo Congresso Nacional dos vetos do presidente da República que impedem a garantia dos direitos conquistados pelos trabalhadores(as) e seus sindicatos, por meio da ultratividade, dos acordos e convenções coletivas de trabalho.

 

  1. f) Volta as aulas de forma responsável e com total segurança aos alunos, professores e demais trabalhadores da educação